Não tenho tempo
Para as coisas que não tem tempo para mim.
Sou uma presença fugaz, apenas um instante,
E não uma eternidade,
Não tenho tempo a perder.
Meu barco flui pelas corredeiras de meu rio,
Em sua proa: sonhos e desafios
E uma urgência em realizá-los,
Em enfrentá-los…
Assim, vou sem paradeiro, sem descanso
Sabendo que um dia encontrarei a calmaria do rio
Em seu remanso,
Mas já não mais serei
Pois para ser,
É imprescindível o movimento.
Anúncios

Olá! Obrigado pela visita.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

%d blogueiros gostam disto: