Um brinco de pena

Scroll down to content
Tu és aquela
Que encontrei em meus caminhos,
És aquela que paralisou meu olhar
Assim que encontrei teus olhos
E os trouxe junto aos meus.
Lembro que ficamos extáticos por segundos,
Momentos que pareceram uma eternidade;
Assim foi que nos conhecemos
Ou talvez nos reencontramos,
Pois parecia que nos conhecíamos,
Desde há muito.
Foi naquele sábado, fim de tarde
Que nunca mais esquecemos,
Tu de jeans e camiseta branca,
Cabelo curto e um único brinco de pena
Cor vermelha que pendia na orelha esquerda
E balançava com o vento,
E desde então, como casais nada perfeitos,
Brigamos, amamos
Mas não separamos…
Passados mais de dez anos
Teu sorriso continua encantador,
Mas, não usas mais teu brinco de pena
E teu cabelo cresceu,
O tempo passou,
Muita coisa mudou,
Crescemos juntos, realizamos sonhos
Como se fossemos um só sonhador,
Andamos pelo mundo,
Salgamos a pele no mar
E como se aventura pouca
Não nos basta, um dia qualquer
Fomos a Minas Gerais e escalamos
Os paredões da Serra da Canastra.
Fizemos tanta coisa juntos,
Mas não sai de minha cabeça:
A lembrança do brinco de pena
A balançar com o vento
Enquanto tu desenhavas

Um sorriso doce em tua boca…

Anúncios

Olá! Obrigado pela visita.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

%d blogueiros gostam disto: