Pedaços de nós dois

Mesmo na distância
De nossos corpos,
De nossas casas
Há constância
Em meu, em teu amor…
Nossas estradas percorridas,
Ora lindas e encantadoras,
Outras vezes interrompidas;
Dias de sol, dias de temporal,
Mesmo assim, somos felizes
Pois o amor resistiu firme,
Na calma e beleza de uma flor
Que apanha da água da chuva
Enquanto fertiliza suas raízes…
Nos braços um do outro,
Na paz do aconchego
Nada além de nós existe
A não ser a lua e a estrelas,
Testemunhas contemplativas
De nossas idas e vindas
Entre as extremidades elásticas
Do bem querer e da saudade…
Em nossos olhos
Estão eternizados
Tudo aquilo
Que a gente viveu,
Dias de alegria e risos
E outros em que a dor
Da saudade nos acometeu…
Amar sem sofrer?
Querida!
Eis uma questão
Difícil de responder,
Pois no amar
A saudade é dor sofrida.
O amor é uma construção
Sem fim, a cada dia
Um novo tijolo,
Um novo martelar,
Uma nova saudade,

Um novo jardim…

Anúncios

Olá! Obrigado pela visita.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

%d blogueiros gostam disto: