O jardineiro dos sentimentos

Scroll down to content

borboleta_ok2

Nas montanhas próximas às ruínas de Machu Picchu, Peru, viveu há muito um velho sábio considerado o último Inca. Vivendo praticamente isolado, poucas vezes foi visto nos povoados circundantes. Possuidor de uma sabedoria admirável era sempre procurado para aconselhamentos sobre todo tipo de problemas relacionados aos campos do sentimento. Quem o procurava voltava transformado, portador de opiniões contrárias a que possuía antes de conhecer aquele velho xamã.

Um determinado pesquisador botânico que passava por problemas conjugais sabendo da fama do velho Inca e pensando tratar-se de um curandeiro que receitava poções milagrosas como uma espécie de panacéia, resolveu procurá-lo. Willian Gregor, foi surpreendido com a simplicidade daquele homem com mais de noventa anos de história e possuidor de uma sabedoria impressionante. Gregor foi até o velho xamã em busca de superar a falta de sua esposa, a quem culpava pelo desgaste e fim do relacionamento.

O velho Inca escutou pacientemente as reclamações do botânico que dizia não saber o que fez para que sua esposa tenha se afastado e se tornado indiferente no convívio do dia a dia. Terminado seu relado, aprontou-se para receber do sábio alguma poção mágica ou palavras de conforto que o encorajasse a providenciar a separação oficial, dando-lhe razão por estar tão desmotivado e decepcionado com o comportamento da esposa.

O velho Inca olhou profundamente nos olhos de Gregor e disse-lhe: conviver harmoniosamente e amar é uma decisão que você tomou ao atrair sua esposa Elisabeth ao seu jardim ao se casar com ela. Agora diante de mim aponta sua esposa como culpada por as pragas com o tempo e por teu descuido, terem invadido e danificado significativamente os canteiros de flores, o gramado e as fontes de teu próprio santuário.

O pesquisador ainda tentou se justificar, mas foi interrompido pela fala firme e amorosa do sábio Inca, que continuou: quando se cultiva um jardim, o jardineiro sabe que deve semear, irrigar, adubar e zelar continuamente para que as pragas não destruam a plantação, como também cuida para que as ervas daninhas não roubem os nutrientes das plantas e impeçam que os Sol as beije, lhes doando a energia da vida. O jardineiro sabe que um belo jardim não pode abster-se de todo cuidado que precisa, para que exista e encha de alegria e cores os olhos de quem o enxerga, tanto pelos olhos da alma quanto pelos olhos de ver…

Após uma breve pausa o xamã prosseguiu: os relacionamentos são jardins que ambos integrantes decidem cultivar juntos. No entanto, o desleixo de um pode levá-lo ao desgaste e ao próprio fim, pois quando uma das partes deixa de realizar o que lhe cabe, acaba sobrecarregando a outra, que por sua vez, com o passar do tempo torna-se sobrecarregada e fatigada, proporcionando assim, uma estafa emocional. Relacionar-se, Gregor, é transportar a carga das dificuldades e das alegrias a quatro mãos aceitando os defeitos do outro e reconhecendo em si mesmo as próprias dificuldades…

Willian Gregor desceu das montanhas peruanas reflexivo levando em si mesmo inúmeros questionamentos e uma certeza, a certeza de que Elizabeth havia cultivado por muito tempo o jardim do relacionamento sozinha, trabalhando dobrado até que a estafa emocional tomou conta de seu ser. Passou a perceber que ele havia se acomodado e gastado mais sua energia no seu trabalho e em suas pesquisas. Percebeu que ao pensar em si mesmo, estava cultivando um jardim paralelo, no qual não havia espaço para a esposa, que desiludida só observava de fora, seus feitos e seu sucesso como pesquisador botânico.

Willian Gregor decidiu retornar o mais rápido possível para sua terra na esperança de restabelecer os canteiros do jardim de seu relacionamento, partiu desejoso de reconquistar Elizabeth desejoso de um novo tempo, de uma nova vida, de um recomeçar, pois, levava com ele boas lembranças e a lição que aprendeu nas montanhas peruanas, ou seja: todo ser humano é o jardineiro do jardim dos próprios sentimentos…

Davi Roballo 

Jornalista, Especialista em Comunicação e Marketing \ Especialista em Jornalismo Político

 

Anúncios

3 Replies to “O jardineiro dos sentimentos”

    1. Davi Roballo disse:

      Obrigado, seja bem vinda a este novo cantinho. Abçs

    2. Davi Roballo disse:

      Obrigado pelo prestigio.

Olá! Obrigado pela visita.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

%d blogueiros gostam disto: