Na roda do vento

Scroll down to content
Quando o adulto
Que monopoliza meu EU
É combalido pelo tormento
E a loucura oportunista
Se assanha,
A criança que há
Em minhas profundezas
Emerge na superfície,
Então vou onde que me levar o vento,
Feito uma pluma que dança
Nas correntes de ar
Sem se importar
Com a hora, minutos
E muito menos

Onde irá parar…

Anúncios

Olá! Obrigado pela visita.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

%d blogueiros gostam disto: