Acordado sou qual cebola,
Camadas e camadas de mim mesmo,
Sou múltiplo para poder sobreviver
Socialmente em minhas relações;
Uma camada e um diferente sorriso
Inerente a cada situação,
Na verdade de dia não sei quem sou,
Mas na penumbra da noite
O sono vem e despe-me
E então nos sonhos e seus jogos de imagens
Encontro meu secreto EU,
Tão matreiro que me faz esquecê-lo
Assim que abro os olhos
Ocasião em que me joga novamente
Nas camadas de meus falsos EUs…
Anúncios

Olá! Obrigado pela visita.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

%d blogueiros gostam disto: