Imperfeito

Por meia hora queria a capa mágica
Que a maioria das pessoas carrega
Sobre os ombros.
Queria ao menos um pedacinho desse tecido
Que protege contra toda dor e infelicidade;
Pois todos que encontro só tem alegrias
A contar, a gabar, parecem nada sentir,
Nada os importunar.
                              
Quero essa capa para tornar perfeito
O que em mim é um arremedo, um defeito,
Pois sinto, luto, choro e trago na alma
Inúmeras cicatrizes das surras que levei da vida.
Cheguei aonde cheguei escalando as escarpas
Dos íngremes caminhos, que ao que parece
A vida só reservou a mim, pois a grande maioria
Parece não ter sofrido,
Parece só ter encontrado glória
E mel pelo caminho…
Ou será que essa capa
Na verdade apenas cobre
As chagas abertas

E o vazio por nada terem tentado?

Anúncios

Olá! Obrigado pela visita.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

%d blogueiros gostam disto: